quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Your Kiss...

Beijo leve 
Quase roubado 
Envergonhado 
Mistura de cheiros 
Aromas de saudade 
Bocas húmidas 
Línguas 
Mãos 
Pele 
Desejo... 

E finalmente o teu beijo.

Happy Kiss Day 

In My Memories...(ALindaSereia)

Seeking... You...

Procuro-te… 

E vivo-te na minha própria saudade, sabendo que para lá dela está também a tua, num bater de alma que nos afoga os sentidos no corpo e nos recolhe as mãos de encontro ao peito, como pássaro cativo do teu sentir...

Procuro-te… 

Em cada sílaba tónica, em cada vírgula, em cada espaçamento de tempo entre as tuas palavras, por entre cada extensão do teu olhar dentro do meu, por entre cada respirar nas pausas de um beijo 

Procuro-te… 

No sentir de cada recanto teu quando fecho os olhos. Em cada trajecto das tuas mãos pela memória do meu corpo, em cada sopro desfeito num “amo-te”, em cada “quero-te” sussurrado 

Procuro-te… 

Nas pedras que piso, e que choram pelos passos intervalados dos meus longos dias sem ti 
e nas paredes arranhadas pelo desejo, que sufocam as palavras que mais ninguém ouve para além de mim, e ninguém mais as sente para além de nós 

Procuro-te… 

E é por entre todos os meus silêncios distantes, que em ecos impelidos pela memória, a tua presença acontece. 

E por fim… 

És-Meu.

In My Memories...(ALindaSereia)

O Teu Sabor Em Mim



Sentindo percorrer pelo grave do teu desabafo... 
O toque dos teus dedos nos meus... 
Entrelaça-los e beijas de forma aguda o meu pescoço... 
Coloco todo o meu desejo no afago aos teus cabelos, 
E perco-me por breves instantes nesse momento 
Meu e teu e de mais ninguém... 
Nem da Lua...tão pouco do Sol... 
Tão pouco perto dos nossos corpos, 
Que apenas cobertos por sonho e fantasia se tocam aqui e ali... 
Sinto a tua lingua misturar e descobrir cada cantinho meu... 
Adoçar de mel o meu peito colado no teu... 
Espalhar de doce de amora cada traço teu... 
Olho-te nos olhos... Sonho que és meu... 
Por minutos perdidos em tempo parado... 
As tuas pernas nas minhas... 

Sinto-me e sinto-te aqui... 

Sinto tudo o que significo para ti...

In My Memories...(ALindaSereia)

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Come ... And Try Me...

Chega assim... 
Lentamente, aproxima-te e respira em mim... 
... Bebe do meu corpo, o néctar que ele te oferece ... 
... Bebe da minha boca os beijos... 
... E dos meus olhos os olhares que te enlouquecem... 
Deixa que o teu melhor vinho corra em mim, e depois bebe-o aqui ... 
... Bem no centro do meu corpo ... Servido assim para Ti ... 
Prova comigo, aquilo que o amor nos pode dar ... 
... Bebe-me, sorve-me e deslumbra-te... 
... Com todo este sabor que te ofereço e que poderás sentir cada vez que desejares ... 
Enlouqueces-me ... 
... Com toques, palavras, sussurros .... Olhares ... 
... Deixa que a magia do antes, se torne no desejo que virá ... 
Conheces o meu sorriso, lês o meu olhar ... 
... E a cada toque teu renasce um sorriso na boca que desejas e anseias ... 
Toma-me tua... 

Agora! 

Já! 

Sempre !! 

In My Memories...(ALindaSereia)


Sabor Partilhado...

O Meu Sabor Em Ti 
Chego, junto-me a ti. 
Trago saudades de ti, 
Da última vez que te vi 
Que te percorri com os lábios 
Por cada recanto secreto! 

Humilde, baixo-me a teus pés 
Invento novo ritual 
Beijo, dou no teu anel 
(Sim, só tu sabes qual é!) 

A língua percorre uma perna 
Ascende por corpo que treme 
Afago a nádega firme 
Que ao cimo, elegante, aparece! 
Pedes-me que me demore 
Nas costas, pescoço e cabelos, 
Beijo-te um ombro e acedo 
A esse olhar que me domina. 

Língua, carícia nos olhos, 
Mordo-te em torno do queixo 
Sinto o sabor dos teus lábios 
A língua... pula com desejo! 

Desço por ti ao contrário 
Vibram os seios bem hirtos 
Transpiras sabores picantes 
Suas, ofegas, suspiras... 
Quando te beijo o ventre 
E me dirijo ao teu centro 
Passando, perfeito, o umbigo... 

Já não queres que me demore, 
Vou para o ponto mais íntimo 
Provo por dentro e por fora 
Sinto o teu cheiro de amora, 
Beijas e alteras-me as formas, 
Quando entro em ti de mansinho... 
Quando tu gemes baixinho... 
Suspiras um arrepio... 
Clímax a dois, um só grito... 
E rendes-te enfim à magia, 
Que jorra do nosso carinho! 

Juntos, somos UM 
Por indivisível que é, 
O que nasceu para ser UNO! 

Sabor inefável, a todos os pontos de TI... 
Sabor Mágico, com M... de Mulher!

In My Memories...(ALindaSereia)

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

Secrets Of The Dawn...

Quando a tua Alma vagueia nos meus poros 
A pele desassossega-me 
(A sede) e acorda-me 
No sabor da boca 
Descendo o beijo 
Beijando... 
Os dedos perdem-se pelas margens 
Navegando... 
Sinto-te entre o lençol e o corpo 
Provocando... 
Luxúria...Flores...Pétalas 
São o segredo que o ventre encerra 
Perfumado de magnólias 
Num só momento, um mundo que explode 
Em desejo 
Aumentando o caudal do beijo 
Que se faz em lençóis de água... 
...Meu mar!

❀♥♪♫AngeLove♫♪♥❀

TRISTEZA..!!


"Acho que o pior é habituarmo-nos à tristeza. Eu fiquei muito mais fechada, mais egoísta, tenho menos paciência para os problemas dos outros. Há dias em que não me apetece ver nem sequer falar com ninguém..."
"(...)e aprenda a guardar a doçura de um amor que tive que aprender a perder. Amar deve ser isto: deixar partir aqueles que amamos, porque, se os amamos, já os temos para sempre connosco. Amar talvez seja a melhor forma de ter alguém, e ter alguém talvez seja a pior forma de amar."
Apesar de tudo, porque perder-te na minha vida era como perder um bocado de mim, ainda tentei falar contigo. Mandei-te um email e algumas mensagens. Inútil, tudo inútil.
"Preciso de um grande amor que seja correspondido, acho que no fundo todos precisamos."
"A vida está cheia de tarefas inúteis. Apaixonarmo-nos pela pessoa errada é talvez a mais inútil de todas."
"(...) o amor é eterno enquanto dura (...)"
"Mas a paixão passa. Passa sempre. A não ser que ela se torne num amor impossível e então nunca passa e tu vives uma vida inteira agarrada a uma imagem, a uma ilusão."
"Acidentes, deslizes e enganos fazem parte da realidade. Sem eles, a existência não teria metade da graça. São sal e pimenta neste jardim à beira-mar plantado, insonso e sonso em que ainda vivemos.
É a nossa natureza, português sempre suave, aconteça o que acontecer."
"Crónicas e amores vêm e vão. Ficam ou voam, é a ordem natural das coisas. As que ficam, viverão para sempre no nosso coração."
"Quando se ama desesperadamente uma pessoa, nunca se aceita a sua perda. E acabamos por procurar, em outras pessoas bocados daquela, como se fosse possível fazer um puzzle com peças de diferentes jogos."
"É mais fácil esperar do que desistir. É mais fácil desejar do que esquecer. É mais fácil sonhar do que perder. E para quem vive a sonhar, é muito mais fácil viver" .

Margarida Rebelo Pinto

É Didicil dizer adeus...!!

É sempre difícil dizer adeus, cortar os laços e continuar em frente,porque acredito que tudo passa, menos o que sentimos. Isso, vai mudando, em cambiantes suaves, ou de forma drástica, se não nos restar outra alternativa. O que sentimos é o que fica cá dentro do peito, o que nos corre nas veias, aquilo em que pensamos no instante anterior ao momento em que adormecemos e que nos assalta no minuto em que acordamos. E eu já sinto saudades, e sei que este sentimento vai perdurar até me interessar por outro Amor,e me ligar a ele, e depois, finalmente, me envolver com ele. Tal e qual como acontece nas relações. Um amor só é totalmente esquecido com outro. Podemos ser estóicos e aprender a encarar os dias com bonomia, podemos aprender a dormir sozinhos e a saborear todas as delícias da liberdade, podemos encontrar paz e sossego na solidão escolhida, podemos até alcançar aquele dia abençoado em que acordamos e o coração já não sangra, a memória já não nos tortura e a perda já não nos pesa porque nos sentimos finalmente livres, mas lá no fundo todos sabemos que ninguém é tão forte nem tão estereotipado. Um amor só se esquece com outro e há quem seja exímio e fazê-lo. Trocar de nome como quem troca de camisa e continuar como se nada tivesse mudado. Mudou o corpo e a voz, mudaram os hábitos e o cheiro, mudaram os sonhos e as vontades, mas há quem não se importe com estas mudanças, desde que sinta o coração ocupado e os dias protegidos do tédio e do vazio que fica quando perdemos aqueles que amamos.

É preciso ser mais forte do que isto, é preciso saber fazer o luto. Esquecer um bocadinho mais todos os dias, até ao tal dia abençoado que nos sabe a liberdade. E abrir a porta com cuidado e parcimónia a quem aparecer a seguir. É que quem lá vem pode ser a pessoa certa, mas se nos tocar o coração no momento errado, podemos deitar tudo a perder. O oposto do sensato é o que vejo à minha volta: fugas para a frente. Como nos tempos medievais, quando os senhores das terras eram tão ou mais poderosos que o rei que os governava e nenhum reino sobrevivia a um trono vazio. Rei morto, rei posto, diz o ditado. Mas nenhum rei vinga por decreto, só o tempo e o mérito associados ao seu reino fazem com que prevaleça. Volto a dizer, tal e qual como as relações. Não adianta inventar o amor, imitá-lo, usando o desejo e a paixão súbita para o legitimar. O amor precisa de tempo, precisa de sossego, precisa de provas, precisa de amor.
Olho para o meu jardim de hortenses e de oliveiras, enfeitado por uma palmeira que não cresce porque nunca foi bem podada. Os amores que morrem são os amores que não cresceram. São aqueles em que um dos amantes tinha sempre medo e dúvidas, que punha em causa o amor sem nunca se pôr em causa a si próprio. O medo é o avesso do amor e o seu maior inimigo. Nunca tive medo de amar, nem de páginas em branco. Não tenho medo de nada, a não ser de não ver o meu filho crescer.Coisas e amores vêm e vão. Ficam ou voam, é a ordem natural das coisas. As que ficam, viverão para sempre no nosso coração.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

O meu reino por um abraço...

O meu reino por um abraço... 
Trocava tudo hoje por um abraço. Por uns braços quentes que me acolhessem e sobretudo me segurassem. Ando com demasiado medo de cair. 
Quando cresces, percebes isto. Que tens de te abraçar. Que ninguém tem a obrigação de te agarrar ou de te segurar quando insistes em bambolear-te na corda bamba.
Quando cresces, continuas a ter medo do escuro. O desconhecido continua a assustar-te e tu continuas cheia de medo de dar o passo em frente. Quando cresces, verificas que há muitas pessoas no mundo e ainda assim te sentes sozinha. 
Quando cresces, por vezes, trocas tudo pelo calor de outro corpo. Iludes-te e pensas que do nada alguma coisa pode nascer. Que alimentar essa esperança é amor. Que viver assim te vai fazer feliz. Ou menos sozinha. Digo-te eu que não. 
Quando cresceres vais ter que te abraçar muitas vezes. E aqueceres o teu corpo única e exclusivamente com a água a escaldar do duche. Pele vermelha. Ferida em fogo. Lento e para sempre.
Hoje eu trocava tudo por um abraço. Uns braços que me segurassem.

In My Memories...(ALindaSereia)

Tão Perto e Tão Longe...

Se esticar o braço, toco-te. Se te tocar, ferves por dentro. Mas não mostras. Nunca.Quase nunca, por vezes, nessas mesmas vezes em que te enganas e me permites apanhar-te em falso. Nessas vezes arrisco tudo. O mundo, o sonho, a dor do depois. Quase tudo. Mas estás mesmo aqui ao lado. No toque quente que aquece o frio do meu corpo. No carinho da comida pronta quando se chega a casa tarde. Na felicidade insurrecta de fazer de um simples queque, um delicioso bolo de anos. Na ternura primitiva que permite o aconchego das tuas mãos aos meus seios. Tão longe e tão demasiado perto. 

Deixa que me confesse: 

Não mudaste apenas um ano no calendário do amor. Mudaste o amor. A forma e a textura do amor. Mudaste tudo. No fim e incontestávelmente, mudaste-me a mim. 

Tão perto de mim, tão longe de seres meu...!!

❀♥♪♫AngeLove♫♪♥❀

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Love Store...

Os amores nascem velozes 
Como o fogo de artifício, 
Crescem lentos 
A morder as entranhas 
E depois morrem aos tropeções 
Sem direito a lápide. 
Há também aqueles 
Que querem nascer 
Mas são mortos pelo medo, 
Na sombra de uma lei do aborto 
Que não foi vetada. 
E é claro que há amores 
Que não sucumbem. 
Esses são feitos 
De organdi e missangas 
E limam as imperfeições da pele 
Até ao último poro do êxtase.

In My Memories...(ALindaSereia)

I Miss You...


  1. Sabias que as noites frias me aproximam ainda mais de ti?
    É que na tua ausência instalou-se um campo magnético de brisas partidas ao meio, entre tu e eu, entre nós dois inteiros, a aquecerem por dentro tudo o que entre nós está mais além.
    Não sei como consegues, diz-me como fazes para projectar na minha pele o holograma de murmúrios distantes do teu toque (e do teu beijo a arder na minha boca).
    E eu não sou capaz, nunca fui, de soltar as amarras e ir à procura do nosso cabo da boa esperança, onde Fomos
    – onde ainda Somos –
    um quadro a óleo a transbordar para o mar, pintando-o de um azul estrondoso nas profundezas dos afectos saltimbancos.
    Saberás tu que é definitivo o desmaio por onde atalhaste caminho no meu corpo?
    Tu invadiste a minha boca com um archote e tudo o que digo, à luz da tua ausência, soa a espuma de fim de tarde a despedir-se da solidão.

    In My Memories...(ALindaSereia)

Lua Cheia que me Iluminas..!!

Ó noite que me iluminas
Com teu luar
Tuas estrelas
Ó noite que caminhas
A passos longos e pequenos
Noite que por vezes muitos de nós
Te tememos.
Ó noite fria e serena
É como se contigo falasse
Tornas a vida pequena
Como se de sol se tratasse
Noite de estrelas cintilantes
De tantos momentos brilhantes
Que até tu ó noite
Já não és como eras antes
Noite que sem querer
Fiz de ti minha companheira
Ó Noite que na tua escuridão
Se vê na palma da mão
A palavra verdadeira
A palavra de dor, de amor
Que com o dia trazes alegria e gratidão
Onde há muito, muito tempo só trazias solidão
Noite que te tornaste pequena mas gosto de ti assim
Só por seres fria e serena.
Ó noite de ilusões, noite de mil perdões que assim
Consegues juntar muitos, muitos corações.

Como...

Como eu quero estar aqui,desde que esteja aqui contigo... 
Quero sentir as tuas mãos no meu pescoço... 
quero sentir o teu calor, junto do meu... 
sermos um do outro,uma ou mil e duas vezes... 
Como eu quero ser a folha,a raiz, o pedaço de papel, 
o teu caminho, a tua sorte! 
Como eu quero ser assim... 
Poderes levar-me contigo 
nesse caminho só teu... 
...esconderes-me num sitio qualquer 
onde me guardas só para Ti...

In My Memories...(ALindaSereia)



Um...Nós...!!

No leve toque dum olhar, no murmúrio de um gesto… perdidos ao som das ondas do mar, sussurraste adoro-te... flutuei envolvida pelo teu abraço forte, pelas carícias dos teus beijos doces, rendida nos desenhos que os teus dedos faziam ao percorrer meu corpo… na profundidade dos teus toques perdi-me de paixão, entreguei-me ao teu querer, ao teu sentir… a minha alma na tua, o teu corpo colado ao meu… ao ritmo do pulsar dos nossos corações, trocamos olhares profundos, misturamos beijos por entre palavras e mimos embalados pelo assobio do vento, e o afagar da areia fina… esquecemos o mundo, trocamos o perfume dos nossos corpos e entregamo-nos ao desejo insaciável num simples gesto de amor!...

In My Memories...(ALindaSereia)

domingo, 20 de janeiro de 2013

Nossa Saudade...!!



Nossa Saudade

Não chegaste em manhã quente de Verão. 
Não te amei à luz de uma lua de prata. 
Não, não chegaste do nada quando já não imaginava que chegasses... 
... porém juntos saboreamos um silêncio extasiado, 
quando as palavras não eram de acontecer. 

Gravei o teu nome num céu de todos os dias. 
Nas noites claras és brilho mágico de estrelas 
e em noites de breu aconteces para além de todos os Verões. 

Nunca te chamei meu amor para não te perder em ilusões, 
mas o teu nome na minha voz foi sílaba de um poema... 

O teu beijo, trago-o na pele como um segredo que me faz sorrir, 
um segredo que ninguém sabe, 
que ninguém vê, 
que ninguém pode ver!... 

E à noite, quando te sei bem distante, 
quem sabe em que ruas, 
em que casas, 
em que festas, 
em sonos ou sonhos... 

Quando sei que não me podes ouvir... 
...chamo-te baixinho Meu Amor e aconteces em mim como eu sempre te sonhei…

In My Memories...(ALindaSereia) 

Ás Vezes...

Ás vezes consigo ver o teu rosto... 
A tua imagem ficou gravada como uma cicatriz, grave, indisfarçável, não a consigo esconder nem reprimir. 
Ás vezes, entre os acordes suaves duma canção, o espírito como que, não se contendo, encontra-te devastadoramente presente... 
...as tuas mãos como que se materializam nas minhas e o teu cheiro volta a inundar o quarto. 
Ás vezes tudo parece tão simples de definir e aceitar, outras, parece que jamais encontrarei respostas e que nem as perguntas terão sentido reformular. 
Ás vezes não sei de nada. 
Não sei se a vida nos compensará pelo que somos e pelo o que de verdade há no que fazemos, 
ou se nos penalizará pela falta de atitude perante o que sentimos. 
Seja como for, permaneço com a inabalável certeza de que amar, verdadeira e plenamente, nunca poderá ser em vão.

In My Memories...(ALindaSereia)

Vem Comigo...


Vem Comigo...

Pinta com água no meu corpo o teu desejo...deixa que cada pinga se junte em festa para nos alegrar simplesmente nesta noite de Lua cheia...esconde-me dentro de ti como folha de Outono...manda vir a chuva para nos ver dançar, encosta-me a ti e mostra-me devagarinho o caminho das estrelas e do Luar...verte em mim cada rio...cada mar...separa as letras das palavras...espalha-as a nossos pés, e ensurdece-me com o silêncio da tua voz...aquece-me com o calor da tua alma...ouve-me só não dizer nada...grita baixinho que estás aqui...aperta-me com carinho entre os teus braços...descalça-te e vem comigo...dá-me a certeza dos teus dentes...e fica só assim...quieto...perto de mim...

In My Memories...(ALindaSereia)

Sonho De Uma Noite...


E se eu te dissesse que toda esta noite o meu sonho foi um extenso areal sedoso, o desejo a perder de vista?... 
Sombras de corpos rendidos ao prazer desenhadas pelos reflexos brilhantes da Lua. 
Os meus seios feitos dunas numa erupção intensa moldada pela memória das tuas mãos... 
O vento a suspirar comigo, num gemido compassado de deleite... 
O nu do meu corpo a confundir-se com a areia, em movimentos lentos, enquanto os meus olhos fechados preenchem o espaço vazio com a textura quente da tua pele... 
O mar numa dança furiosa e carnal a inundar-me muito mais do que o sonho... a transformar-se no teu toque... a ser de repente a tua boca que me invade ternamente... 
E os meus lábios subitamente encharcados... água docemente selvagem... 
Respiração ofegante. 
A brisa leva-me as palavras que,ínsana, te murmuro. 
A vontade ainda por saciar. 
O pensamento num intenso arrepiar de antecipação do prazer... 
E este sabor a nós que ficou impregnado em mim desde que acordei. 
Estranha sensação de ter sido outra vez tua esta noite. 
Apaixonadamente. 
Sem tu o saberes...

In My Memories...(ALindaSereia)

Sou Lua...


♡ Sou LuA... Mas minha única fase é a do AMOR ♡

"Sou como a lua: transpareço o meu romantismo... Quando minguo,me recolho Quando cresço, me inspiro Quando nova, recomeço Quando cheia, ilumino."

Gel

sábado, 19 de janeiro de 2013

Sei e Não Sei...

Estou cheia de palavras que nem sei o que querem dizer. Nem sei como as escrever. Sei que há alguma coisa em mim que precisa de sair... adivinho que são palavras porque reconheço os sintomas, mas pela primeira vez não sei qual é a doença e desconheço em absoluto se há cura. Revejo-me imensas vezes ao espelho "afincadamente" acreditem. Para tentar ver, o mesmo que os outros veêm. Olho e não me vejo e nem sequer suspeito, onde em mim, os outros encontram tanta coisa. 

"és muito especial, sabias?!" 

Posso ser sincera? Sabia. Sei. Só não sei o que isso faz de mim. E sei também que ninguém me dará essa resposta. Porque também não é uma pergunta. É só um vazio. É só olhar-me e não me ver... coisa pouca, portanto...!!

In My Memories...(ALindaSereia)

Somehere...

Em algum lugar. Num tempo que não é o nosso. Nem o será nunca. Nesse lugar recôndito de mim, espero por ti. Espero desde sempre. Antes de ser gente e de saber que um dia te iria conhecer. Imagino-te tantas vezes. Escrevo-te outras tantas ... E soube, sempre soube, que este nunca seria o nosso tempo. Em algum lugar dentro de mim, ainda te espero... Um tempo que tem aliás, a vida inteira para acontecer.Será a tua ou a minha? O que sou eu para ti? O que fui? 
Ficam as perguntas. As imagens. E todas, todas as palavras mágicas, que me fazem sorrir e chorar e querer...querer muito acreditar... Em mim... Em algum lugar...!!

In My Memories...(ALindaSereia)

A Minha Insanidade por Ti...!!


Declaro a minha insanidade, subscrevo o meu delírio, admito a minha loucura quando solto meu corpo sobre o teu. Este vendaval que assola cada poro é constante turbulência que invade a minha consciência, tolda o meu pensamento e me faz perder completamente a noção de tempo. Extravaso toda a emoção como se derramasse sobre os teus lábios todo o fogo que arde no meu coração, lava quente, porém dócil e terna que como um lápis te desenha o contorno suave da boca. Este beijo intempestivo, que começa de mansinho e se agiganta como vaga, é um subtil início que, aos poucos, te toma por completo e te suga por momentos a língua húmida do gosto do teu sabor de vontade, de luxúria.

As mãos perdem-se, absorvidas pelos teus cabelos, num emaranhado de murmúrios, de desvelos que suspendem o teu corpo, como se pairasses, como se voasses sobre o meu corpo de mar. É assim que te quero amar, como vaga constante que na areia da tua pele se desmancha.



Dá - me a Tua Mão...

Dá-me a tua mão. Só preciso de a segurar entre as minhas, com aquela ternura calada de quem se compreende no silêncio... Deixa-me brincar com os teus dedos como se fossem amarras que me prendem a um cais de tranquilidade... E não me perguntes nada. Não queiras saber por que motivo não deixei hoje entrar o sol cá dentro, por que razão estava insegura a minha voz... e porque é que existe esta sombra tão pesada prendendo-me os passos... Dá-me só a tua mão. Dá-me o calor dos teus gestos e a força desse olhar tão profundo com que me olhas às vezes... mas não me perguntes nada. 
Não me deixes cair... Põe os teus braços à volta do meu frio, do meu cansaço, e tatua um sorriso na palma da tua mão para que eu possa roubar também, ainda que por breves instantes, a tua boca.
Adoro te para sempre Deusa Linda André Jesus

Quero Te...

Hoje, cada vez que quero estar comigo, tenho que fazer um grande esforço para me encontrar. Estou muito longe e estou perdida no palco, no cenário, e no meio de um acto que fui eu própria que criei. 

Mas acabo por me encontrar... Estou deitada na minha cama, com o olhar embaciado pela tua imagem, a desejar com todas as minhas forças que te lembres tanto de mim como eu de ti. Estou a desejar que tenhas mais saudades minhas do que de qualquer outra coisa. 

Quero que penses na minha voz. 
Quero que sintas o meu pensamento. 
Quero que te lembres dos meus lábios e que, ao fechares os olhos, encontres a minha boca e a humidade quente dos meus beijos. E quero que sorrias com malícia por teres gostado... 
Quero que penses em momentos nossos. 
Nas palavras. 
No prazer. 
Nos sons. 
No render... 

Quero que te perguntes se as minhas pernas enlaçadas à volta do teu corpo são uma promessa de união momentânea ou se, às vezes, somos um rio e um mar... 

És a minha maior sorte. És o meu maior azar. "...Cause you know sometimes words have two meanings..."

In My Memories...(ALindaSereia)


Jamais deixarei de pensar em Ti Deusa...!!

Não há volta a dar-lhe, nalgumas coisas sou um homem como os outros... E anseio tanto pelo sabor da tua pele como pelo prazer da tua companhia. Não te poderei amar de corpo e alma se só amar a alma, tenho de amar o corpo também, e tu sabe-lo... Terei de despertar a fêmea que aguardas adormecida dentro de ti, adorar-te como Mulher que és. E se é certo que outros dias chegarão, esse também acabará por chegar. Numa noite de luar, num beijo arrancado inesperadamente, num desejo reprimido entre a vontade de revelá-lo, não sei, mas surgirá, é inevitável… E nesse momento mágico suspenso no infinito, os meus olhos tocarão os teus e seremos um único. Só então verás o que é ser desejada como só eu te poderei desejar, na plenitude. E então, rebuscando todas as forças reprimidas nas entranhas do meu ser, afastar-te-ei suavemente o cabelo dos ombros e dir-te-ei sussurrando ao ouvido: “quero-te…” Empurrar-te-ei para a cama, sem pudores ou licenças, sem medos ou crenças, amar-te-ei e serei teu, até que por fim me pertenças… Prisioneira da paixão ardente e privada da vontade de fugir, serás escrava dessa vontade demente, desses toques que te farão explodir... Sentirás arrepios, perderás o ar, far-te-ei gemer, far-te-ei gritar… Ficarás ofegante, perderás a razão, amar-te-ei de rompante, amar-te-ei sem perdão… Domar-te-ei esse desejo, entre beijos escaldantes e pernas entrelaçadas, entre gemidos ofegantes e costas arranhadas... Até que por fim, exaustos e aéreos, sem receios ou passado, tu adormecerás no meu peito, e eu adormecerei a teu lado… Dormiremos, espero eu, pois quem não dorme não sonha, e se já não sonhamos com nada neste mundo, deixaria de fazer sentido viver nele. Por isso sonharemos, sonharemos como sonha quem já tem tudo, ou como dorme quem já não precisa de nada. Entre carícias e mimo, de olhos fechados, não precisarás mais pensar, não veremos o mundo que nos rodeia, não nos lembraremos que amanhã será outro dia, não nos lembraremos que ao amanhecer terei de partir… Mas partirei, sabe-lo tão bem como eu… Deixando parte de mim contigo, a lembrança do meu perfume nos teus lençóis, o sabor dos meus beijos no teu lábio, mas partirei... Partirei porque é inevitável… Mas voltarei, todas as noites, entre sonhos e desejos, tão certo como esse dia chegar, tão certo como ansiares esse dia como eu. Só assim serei teu, não há volta a dar-lhe. Assim como não há volta a dar-lhe, nalgumas coisas sou um homem como os outros…!!

(Lipy_14\02\2012 ás 02.40 Vila Real)

Uma Paixão desenfreada..!!

Todos nós já tivemos uma ou 

procuramos uma Paixão assim...... 

Paixão desenfreada... 
Marcada pelos corpos suados 
Mãos tremulas e enlouquecidas 
Deslizando em nossos corpos 
Numa busca insana do prazer! 

Bocas ofegantes balbuciando 
Palavras desconexas e inaudíveis 
Línguas húmidas e vorazes 
Serpenteando nossos corpos 
Numa busca insana do prazer! 

Braços se entrelaçando 
Em abraços delirantes 
Que incendeiam nossas almas 
Numa busca insana do prazer! 

Corpos exaustos e desfalecidos 
Recompondo-se com ternura 
Dos momentos de loucura 
Vividos ao sabor do néctar singular 
Produzido pelo desejo de amar 
Nesta insana busca do prazer!

J.P

Tenho-te Tão Presente Anjo...

O dia correu pesado, como se demorasse mais a passar. E há uma urgência em que o tempo passe para sentir tudo a acalmar. 

Ainda te tenho tão presente… tão intensamente presente. Devia guardar ao fundo de mim a tua memória. Mas hoje trago-te à flor da pele. Saboreio cada momento que tivemos juntos, uma e outra vez....e tudo o que descobri,em ti. Saboreio a paixão que senti passar de um para o outro, e que noutros tempos havia sentido viver sozinha. 

Acho que nos faltava isso. E de certa forma agora o temos. 

Past is history, future is a mystery, and present is a gift… E assim é. Este presente deixa de ser para nós, juntos. Porque as circunstâncias e os corpos da vida reclamam que nos afastemos. E sem vontade nos afastamos. E por ser sem vontade custa tanto. E por custar tanto queria que o tempo passasse mais depressa. 

Mas o futuro é mistério e o presente faz-se de ausências. Ausência da tua presença, da tua voz, do teu corpo, do teu cheiro, do teu beijo, do teu toque, da concretização do desejo que nos deixou em delírio… Quero-te tanto que não o consigo calar. Nem mesmo para te ajudar a fazer de conta que eu não existo. 

Mas o Tempo Há-de passar.E vai passar.Tem de passar.

In My Memories...(ALindaSereia)

O Teu Código...

Podias mergulhar fundo em mim, abarcar-me por inteiro, e fazer de todos os meus recantos a tua casa. 
Podias remexer e reinventar-me. Podias abrilhantar as paredes com tudo aquilo que ainda não ouvi de ti. 
Sapatear o meu chão à tua chegada. 

Fechar e abrir portas. 

Podias até ser o ressoado das janelas num dia intenso de chuva. 
E podias dizer que sou definitivamente a tua morada. Um nome de rua, um número de porta. Com direito a código postal e tudo. 
E eu seria simplesmente feliz por ter quatro e mais três dígitos desunidos por um hífen. 
Desde que esses fossem também os teus. 

Desde que esses, sem mais dúvidas, te trouxessem sempre para mim.

In My Memories...(ALindaSereia)

Guarda-me...

Deixa-me ficar só assim...sentir o teu carinho...as tuas caricias...o calor das tuas mãos em cada linha minha...ver-te soletrar cada parágrafo meu...tocar e trocar o sentido das palavras...sonhar e viver cada ilusão...marca-me...guarda-me...sublinha-me a lápis de carvão e com ternura... folheia-me como se folheia um livro...respira o tempo de cada virgula...não tenhas pressa do ponto final...!!!

In My Memories...(ALindaSereia)

A noite...!!

Gosto destas noites que trazem dentro delas esse paladar doce e embriagante a infinito. 
Levantar os olhos e ver o todo. Dessa sensação boa de não sentir o fim. Como se às vezes, só por instantes, o "para sempre" pudesse ser mais do que só um desejo. 
Gosto deste vento vaporoso que me segreda ao ouvido palavras que não sei decifrar. E da certeza que tenho de que não é tão importante assim saber traduzi-las. Apenas deixá-las fazerem parte de mim. 
Um raio de luar transporta uma carícia. 
Um brilhar mais cintilante de uma qualquer estrela leva um beijo de saudade. 
O som da onda que quebra no escuro da praia conta um segredo. 
A noite. Silencioso e discreto mensageiro este, que se veste de negro, enquanto traz e leva pedaços de nós. Pequenos pontinhos de luz agarrados ao infinito. 
Gosto que seja noite agora. 
É terna e quente a textura na minha pele. 
É suave e doce na minha boca. 
Como se fosse o beijo de um amante ausente que o momento traz até mim.

In My Memories...(ALindaSereia)

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

O Meu Pensamento...


“mesmo sendo fugas através do pensamento sinto-me bem contigo…” 

Não peço que o mundo mude 
Peço que acalme 
A minha inquietude. 

Não para te esquecer. 
Nunca para apagar memórias. 
Quero guardar 
Esse livro de histórias… 

Guardar todos os beijos 
Que consigo lembrar, 
E as expressões 
Que largaste no ar. 
As coreografias 
Que nos juntaram 
E os gestos 
Que nos incendiaram. 
A linha da tua boca. 
A minha pele sob os teus dedos. 
O teu sorriso transparente. 
E todos os nossos segredos…

.♥..ღ!*In My Memories...*!ღ..♥..

Significado das Nossas Palavras...

Quero-te 
A verdade dos dias. 

Desejo-te 
A sede do corpo. 

Sinto-te 
Perdido em mim. 

Descubro-te 
Em tudo aquilo que sou. 

Penso-te 
Como nunca pensei em pensar-te. 

E eu, 
Adoro-te 

Palavra-pêndulo do coração.

In My Memories...(ALindaSereia)

O Livro da Nossa Vida..!!



O Livro da nossa vida é um livro diferente, que, de uma só vez se lê. Qυe de uma só νєz se sente, que é um livro que não se abre na página que queremos. Voltar atrás...não se pode, afinal, nós não sabemos o livro da nossa vida!! É um livro de surpresas, tem páginas de alegria, tem páginas de tristeza... O livro da nossa vida, é um livro de aventura, cheio de luta e coragem, cheio de riscos e bravura!! O livro da nossa vida, é um livro de emoção, ora sacode os sentidos, ora fala ao coração! É preciso preparares-te, para esse livro bem ler, é o mais emocionante romance, vais ver... Lê este livro direito, lê-o com todo o cuidado, saboreia-o devagar!! Não desperdices uma linha, dessa leitura sem par.... Atenção...Página lida...Virou...Não volta mais nao volta mais atras o livro da vida...lê uma vez...nunca mais!!!

Sou a Música do Teu Piano....!!


Sinto as teclas do piano soltar as notas que agitam o ar com a vibração da paixão do meu dedilhar. Da mesma forma sinto o teu corpo chegar, dançando o lânguido ritmo da música. Preenches o espaço sobrevoando o chão com teu vestido acariciando o soalho do salão. Sentas-te em frente das minhas mãos, que prosseguem com efusão, provocando a música, despertando em ti esse vulcão. Afastas as pernas e deixas que leia a partitura do teu desejo, fazendo com que meu olhar perceba nos detalhes do teu corpo nu, o perfume de si, com a gravidade dum dó que faz de mi um suspiro na solta melodia desta canção. Pede o momento que a música siga o destino que clama teu corpo, agora deitado sobre a cauda imensa deste piano, chamas-me, com o canto das sereias, e eu, livre de amarras, cedo ao devaneio de te amar, ali, sobre as notas amarrotadas do papel duma partitura que acabaste de inventar.

Fernando Ribeiro

Eu não mudo nada... ..se me deixares usar o pincel e cobrir-te...esse piano de preto ficava mais interessante...fica bem mais saboroso o contraste...de resto...huuummm...seja na voz...seja na...seja no...assim seja!!!... até mais ler...seja como for...rsrsrsrs

Eu

quinta-feira, 17 de janeiro de 2013

Noite adentro…

Noite adentro… 

É[s] sempre [a] ausência que amanhece nos meus olhos. 

Porque Tu, não estás Aqui, COMIGO.

In My Memories...(ALindaSereia)

Aquela...estrela...

...Estrela que nós tocámos 

Quando a noite abraçou os dois 
E a lua e o luar dançaram... 
(Lembras te..??:)
Continua sem nome, lá longe 
Naquela constelação de marés... 
Deixo-te um mar de Tudo ou Nada...!!

In My Memories...(ALindaSereia)

Pensar em Ti...

Pensar em ti é como ouvir uma música preferida. 
Acendo velas coloridas na minha imaginação 
e encontro a memória do teu corpo. 
O teu toque. A tua voz. O teu olhar. Um sorriso que acende outro 
no meu rosto. 
Acrescento a nudez, 
a textura das nossas peles, o calor dos nossos corpos, 
a adrenalina nas nossas veias, 
o desejo nos lábios, nas pontas dos dedos, 
em todos os músculos do corpo… 
Quero fazer um filme invisível. 
Que fique apenas em nós.

In My Memories...(ALindaSereia)

Love Is..!!


Ela já devia ter aprendido a não jogar o mesmo jogo mais do que uma vez. 
Pelo menos não da mesma maneira. 
Porque jogá-lo talvez seja uma inevitabilidade. 
Devia ter aprendido a reconhecer o perigo e a evitá-lo. 
Não se colocar em xeque, até porque já perdeu demasiadas vezes. 
Devia saber virar as costas à tentação. 
Apagar a luz e deixar fechados no escuro o desejo e a vontade. 
Não dar o passo que a faz cair e cair sem rede de protecção no mesmo abismo de ainda ontem... 
E o amor? O amor?... 
Não devia ter nada a ver com isso. 
Devia ser só um pormenor. 
E não devia fazer a mínima diferença. 
Porque o amor…esse…é um simples delírio.

In My Memories...(ALindaSereia)

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

Paixão..!!

Lembro-me de quando as tuas palavras eram afagos, o sopro nas feridas e o abraço sempre que necessário. Lembro-me de quando na ausência das mesmas, o silêncio bastava e me envolvia no espaço necessário para conter a cascata das minhas emoções. Sempre fui demasiado intensa nas minhas emoções. Transparente nos afectos e directa nas palavras. Hoje as tuas palavras são diferentes...irreconhecíveis. Não conheço esta ausência e as tuas palavras ferem...não as de agora, até porque do silêncio tu fizeste distâncias de nós e das esperas, fugas cobardes. 
Hoje as tuas palavras de ontem são lâminas, o corte na pele que afagaste, o álcool nas feridas que saraste e murros no estômago. As tuas palavras são compras devolvidas porque já não te servem, papéis que deitas fora, tal como fizeste comigo. 
Não sei o que me custa mais...se não poder responder na mesma moeda ou se o veneno que lançaste dentro de mim e me corrói por dentro.

In My Memories...(ALindaSereia)

A Ilha da Nossa Paixão

Havia palmeiras lardeando a orla da praia, se entrasses mais para dentro seria mais denso o arvoredo em conjunto com outras árvores , algumas de frutos ...
Após andares abrindo caminho pela pequena selva virgem ...encontramos uma fonte de agua doce ...formando uma pequena baia, onde aproveitavamos para poder tomarmos um banho refrescante, e matar a sede, as nossas roupas ficaram despojadas junto de uma pedra redonda ...lisa ...macia. 
Não havia constrangimentos entre nós ..
A fome despertava , e sairiamos dali frescos ...
E prontos para partirmos á descoberta de que seria aquele sitio que sem o sabermos era completamente virgem
Naquela mesma tarde , descobrimos que a ilha era de pequenas dimensões , teria talvez uns 6 km de comprimento, com uma pequena ravina onde batiam as ondas.
Juntamos alguma comida , cocos , mangas e pequenos cachos de bananas , que se revelaram deliciosas. 
Depois de fazermos uma pequena refeição, montamos uma tenda que traziamos numa das malas que ainda se encontravam no pequeno barco. 
Conseguimos trazer tudo para terra , o sol punha-se no horizonte , dando uma tonalidade vermelha e misteriosa á pequena ilha. 
Olhamos um para o outro e apôs tanto tempo de silêncio , mesmo assim sorriamos sem pronunciar qualquer palavra ...a quietude do que nos rodeava e os nossos olhos falavam por tudo 
Enquanto acendias uma fogueira ...eu juntava as mantas para nos podermos sentar ... as nossas mãos uniam-se na cumplicidade do silêncio.
O cheiro do mar...a areia macia que nos tocava como espuma ...suavemente.
O calor ...levantaste-te, e desapareceste dentro da tenda ...quando voltaste, trazias uma garrafa de vinho na mão e na outra dois copos e já trazias despida a camisola. 
As palavras contidas durante tanto tempo , saiam agora num pequeno brinde á paz .
Selando o brinde , encostaste os teus lábios aos meus ...
Quando afastaste o rosto ..olhaste-me nos olhos ...a minha mão deslizou no teu rosto, e meteu-se na tua nuca, meti os dedos entre madeixas do teu cabelo e puxei-te para mim...
Os teus lábios, com os meus ...perderam-se...no sabor do desejo já á muito sentido, a tua pele tinha o sabor do mar...e quente como o sol...
As tuas mãos que numa caricia se desfez da minha tunica que se interpunha entre a nossa pele nua e quente.
O lume crepitava , fazendo saltar pequenas faíscas, que iluminavam a escuridão, tão intenso, como estava a ser as tuas mãos que acariciavam o meu corpo com desejo e uma imensa ternura.
Perdidos entre o desejo e a paixão.
O sol veio acordar-nos. O barulho embora suave das ondas, murmuravam aos nossos ouvidos.
Senti os teus beijos, mais parecia a brisa quente e doce que me acariciava os lábios.
A tua voz, murmurando se estava acordada...
Acordei, abri os olhos e olhei a janela, o sol brindou-me com o seu abraço...sorri.
Com pena e desejei continuar a dormir embalada no sonho da ilha deserta...e contigo!


In My Memories...(ALindaSereia)

Tu em Mim..!!

Não tens mais nome...nem sei se chegaste a ter. Não quero saber como te chamas, quero apenas o teu olhar preso no meu, a tua boca na minha e o teu corpo no meu. Quero despir-te lentamente, passear os meu lábios pela tua pele e sentir-te mais próximo. Quero-te hoje...porque hoje é o teu dia. 
Quero-te tanto...quero percorrer-te o corpo, quero saber que esse arrepio na tua pele é causado por mim. Quero saber de cor o perfume que tens no pescoço...esse teu jeito de menino-homem que me prende cada vez mais a ti. E no momento em que o desejo fala mais alto...a tua roupa cai no chão e eis-te nessa tua nudez despudorada que me chama para ti. Nu és tão mais tu...nu com esse teu sorriso perverso que pede que me junte a ti na nudez do corpo e do sentir. 
Aproximas-te e tiras-me a roupa peça por peça como se de um jogo se tratasse enquanto me segredas ao ouvido que eu sempre te pertenci, mesmo quando não o sabia. Tens no teu corpo o mapa do desejo e obrigas-me a percorrê-lo, a conhecer cada lugar profundamente pelo sabor salgado do suor e o aroma de prazer que emana de ti...de nós. 
Procuro-te mais quando os nossos corpos conhecem o encaixe perfeito...quando aumentamos o ritmo cadenciado dos corpos. Tu no Meu corpo. Tu em Mim. Tu cada vez mais em Mim. A tua boca que chama pela minha num beijo demorado. O teu sussurro na minha orelha e os teus lábios no meu pescoço...pedindo para não parar. Quem te disse que o faria? 
O desejo dos corpos saciado a cada movimento balançado e enquanto somos um só, sinto-te mais próximo. É este o momento...as minhas unhas cravadas nas tuas costas bem fundo. Não há dor quando isto é o oposto. Não pode haver dor quando me olhas nos olhos e atingimos o êxtase no mesmo compasso de tempo e de prazer.

In My Memories...(ALindaSereia)

A Solidão..!!


A verdade da Solidão
Tanto se escreve sobre solidão…
Mas realmente saberão o que é a solidão sentida?
Acompanhada, ou no meio da multidão.
Ao lado de uma pessoa, mas como se uma única pessoa ali estivesse…
O som do silêncio, o vazio ocupado.
O rascunho de palavras que não tem eco, nem retorno de resposta.
O vazio …
É mais fácil escrever sobre amor, 
Mais fácil, sim…
Sobre paixão? Sim…
Solidão?

In My Memories...(ALindaSereia)

Meus Momentos.Nossos Momentos..!!

És tu que interrompes inadvertidamente a minha solidão.
Solidão conquistada, paz...
Nada mais conta, quando surges no meu pensamento, é momento de ternura,
Momento de carinho, de raiva, de lágrimas invisíveis, porque é o coração que chora, e a cabeça a negar qualquer necessidade de ti.
Menti, pobre coração!
Tantas madrugadas a negarem o que a saudade lhe conta!
Que maldade, lhe conta o vento, e a lua, quando esta estende os seus braços de prata...e cobre de sombra todos os recantos que eu quero ver, para dizer ao meu coração que nada justifica tanta saudade, que a beleza do mundo é nossa.
- Coração ouve: não escutes a infiel saudade, ela mente, não precisas nada mais que solidão...
- Não precisas de abraços, nem tão-pouco de carinho, beijos que te fazem saltar do peito, para que queres tu isso?!
- Paixão que te deixa inquieto, que te fazem acordar! 
E não te deixa dormir a sonhar com os lábios macios e quentes.
Esquece, coração nada disso vale a pena,
São momentos que passam, não precisas deles, para quê lembrar?
Momentos felizes...Momentos apenas...!!

Viver é Preciso....!!


Há momentos nos quais nos sentimos literalmente sós, abandonados num turbilhão de preocupações pensamentos que se multiplicam, dando-nos uma sensação muito grande de desconforto, mal estar,mas a vida tem o seu outro lado...Um lado que caminha na fina corda que separa a luz da escuridão. Um descuido e lá estaremos nós sem poder ver nada com clareza e alegria. Momentos em que perdemos coisas valiosas, pessoas queridas... Momentos em que o dinheiro parece não ser suficiente, momentos em que as nossas relações estão fragilizadas por falta de compreensão, de amor, de cuidados... Momentos nos quais estamos doentes física ou espiritualmente...Momentos sem esperanças. Momentos sem alegria...Perdidos em meio a tantas preocupações tratamos de seguir...
Uns seguem sem compreender o momento presente, sem se darem a chance de vislumbrar que situação propicia o sentido de amadurecer, evoluir frente aos obstáculos. Outros seguem com boas intenções, e estas por si só não são suficientes para abrir um novo caminho. E há aqueles que param, silenciam, abrandam seu ser. Na sua quietude questionam e compreendem a ausência de luz, de alegria, de amor. Partindo de sua centralização interior, dão primeiro passo: a confiança. Dão o segundo passo: a fé. Dão o terceiro passo: a realização.
Para aqueles que confiam, tudo chega a tempo. Para aqueles que têm fé, nada falta e para aqueles que realizam, sabem que tudo depende do seu esforço, da sua coragem em seguir, descortinando o desconhecido e fazendo dele seu aliado, seu cúmplice. Não há tempo para temer a vida... 

Viver é preciso!

Prossigo Caminhando sem me cansar..!!

Com dois pés atrás 
Faço-me ao caminho.
Dos olhos apago enganos,
apenas desejo aquilo que vejo.
Ao corpo ofereço conforto,
algum tempo para descansar.
Se der um passo para te abraçar,
já deste dois para me alcançar.
Reparto o tempo e divido em partes iguais.
Um dia caminho, no outro logo se vê.
Reúno os cacos do passado.
Acerto as contas com o presente.
Peço crédito ao futuro.
Alugo a estrada.
Faço-me ao caminho.
Com dois pés atrás.

(Dudu Mary)

Just Me...


Há quem diga que é poesia. 
Há quem diga que é prosa poética. 
Há quem diga que é triste. Depressivo. 
Que eu sou triste para escrever como escrevo. 
Há quem diga que sou crua. Dilacerante. 
Há quem chore até. 
Há quem aplauda e se entusiasme verdadeiramente. 
Há quem prefira não ler, simplesmente para não recordar. 
Há quem se identifique com cada vírgula de um texto meu. 
Há quem não goste. 

Pois eu digo que sou eu. Que não sei se é poesia, se prosa poética. 
Não conto estrofes nem linhas. Não faço rimas. E se por acaso acontecerem, foi sem querer! 
Não sou triste. Tenho lados como qualquer um. 
Mas gosto de puxar pelo que de melhor e pior se pode, efectivamente, puxar. 
Quem lê, assimila como quer, como pode, conforme o seu lado mais vincado no momento. 
O que escrevo sou eu com toda a nudez espalhada pelas minhas palavras. 
Escrevo como quem arranha a pele e faz sangue. 
Como quem solta coração e entranhas num só grito. 
Sem métricas, sem rimas, sem coisa nenhuma a não ser eu. 
Como serão, certamente, tantos outros. 

Just me, as I am.

In My Memories...(ALindaSereia)

Sinto-te...!!


Deixo os meus dedos escorrerem como água sobre a tua pele. 
Percorrem como o vento, cada curva, cada detalhe de ti. 
A minha boca, deixa escapar a língua que pousa sobre o teu peito, desenhando sobre ti, como se de uma tela se tratasse. 
As minhas mãos percorrem-te, com a luxúria e o desejo guardado por mil anos. 
A nossa música toca tranquila, misturando-se com os perfumes e essências dos nossos corpos, do nosso desejo. 
Os meus olhos prendem-se dos teus, que se fecham para sentir mais profundamente. 
O teu corpo, colado no meu, estremece de saudade, recordando os tempos em que já me tiveste, em que já fomos apenas um e nos amávamos até à exaustão. 

Sinto-te chegar em mim... 

Esta noite, Amei-te... 
Esta noite, Amaste-me... 
Como há muito o tempo não nos permitia, com a força da vida que o corpo carrega, com a intensidade da alma que há séculos esperava... 

Por Nós...!!

In My Memories...(ALindaSereia)